Saiba um pouco sobre as impressões ao volante do primeiro híbrido da Infiniti

Hoje conheci de perto o novo Infiniti M35h, e conferi alguns detalhes do modelo. Do lado de fora, pouco mudou em relação a linha M da Infiniti, que compreende os modelos M37, com um motor V6 de 330hp, e o M56, com motor V8 de 420cv. A diferença fica por conta da inscrição ‘Hybrid’ nos paralamas dianteiros, e do logotipo M35h na tampa traseira. As mudanças estão debaixo do capo do motor, instrumentos do painel, e porta malas. Aliás, logo de cara já pedi para abrir o porta malas para ver como as baterias de íon-lítio foram alojadas, e para minha surpresa, tomou mais espaço do que esperava. As baterias de 340Volts ocupam cerca de 40% do porta malas, mas esse é o preço que se paga por um consumo melhor. Já o interior continua o mesmo, com o luxo e padrão acabamento Infiniti, e a mesma ergonomia do Infiniti M37 que foi redesenhado no modelo 2011. A posição de dirigir é boa, mas acho estranha a posição do volante e altura do painel, que parecem  mais altos que em outros outros carros.

Na versão híbrida, a diferença fica por conta do painel de instrumentos que teve o marcador de temperatura substituído pelo medidor de carga. A telas no quadro de instrumentos e a tela central multimídia são as mesmas, mas passam a informar detalhes do sistema híbrido e carga das baterias. Alías, fui conferir o consumo médio e a média total estava em torno de 25mpg ( 10.6 km/l). Pode parecer pouco, mas muito melhor que o consumo médio de 20mpg (8.5 km/l) da versão V6 com 330hp. Vale lembrar este híbrido tem potência máxima de 369hp. Apenas por curiosidade, o carro tinha acabado de ser abastecido para a apresentação, e rodado pouco mais de 1 milha do posto de gasolina até o local onde estávamos, e o consumo na tela do display central marcava exatos 60mpg (25,4 Km/l). Uma marca que pode parecer muito boa, especialmente se comparada a um carro normal, que faria cerca de 10 mpg nas mesmas condições, mas absolutamente normal para um híbrido. Eu explico, o deslocamento do posto de gasolina é feito em baixa velocidade, e em primeira, segunda e no máximo terceira marcha, e o tempo esperando no sinal vermelho piora o consumo, e é nessas situações que o motor elétrico funciona, desligando o motor a gasolina no sinal vermelho, melhorando o consumo. A maioria dos carros híbridos apresentam melhora no consumo principalmente na cidade, e pouca coisa na estrada.

Por falar em funcionamento do sistema híbrido, o M35h possui dois motores. O motor combustão é o mesmo motor usado nos crossovers EX35 e FX35, V6 de 3.5 litros e 302hp, já o motor elétrico produz 67hp, sendo acoplado entre o motor a gasolina e a transmissão, onde ficaria o conversor de torque de um cambio automático. O motor elétrico é desconectado na estrada, situação que o motor elétrico não é requisitado, e assim, também não rouba potência. Ainda dentro do compartimento do motor, chama atenção o cabo elétrico em cor laranja. Esse cabo é o cabo de alta tensão que sai do conversor de voltagem, que fica no lugar onde ficaria a bateria de 12 volts e alimenta o motor elétrico. Algumas curiosidades. O M35h pode rodar pouco mais de 1 milha e meia somente no modo elétrico, mas desde que pisando de leve no acelerador, caso contrário o motor a gasolina entra em ação. Caso o carro fique sem gasolina, o M35h poderia rodar até um posto de gasolina, mas se a carga da bateria de alta voltagem acabar, o M35h não vai pegar, pois o motor entra em funcionamento primeiramente através da bateria de alta voltagem. Existe ainda a antiga bateria de 12V, mas ela é responsável pelo funcionamento da parte elétrica do carro, bomba de combustível, injetores, central da injeção, componentes eletrônicos, mas não controlo a partida do motor. Aí que existe outro problema, pois se o carro ficar sem bateria, não é possível fazer ‘chupeta’ na bateria, já que a bateria de alta voltagem é responsável pela partida do motor. Nesse caso, o carro deve ser rebocado até a rede assistencial da Infiniti para recarregar a bateria.

Mas e quanto ao funcionamento? Antes de pegar o volante, comentei com o técnico da Infiniti a respeito que alguns veículos híbridos terão que sair com o barulho artificial quando o motor elétrico estiver em funcionamento para alertar pedestres, e para minha surpresa o M35h já vem equipado com esse equipamento. Quando o motorista engata a marcha a ré, o carro começa a emitir um sinal sonoro, uma espécie de ‘bip’ igual a caminhões e ônibus quando movimentam para trás, mas bem mais baixo, quase imperceptível na minha opinião. Já quando o carro se move para frente o carro faz o barulho parecido de uma turbina de avião, que vai aumentando de acordo com a velocidade, mas é tão baixo que tive que fazer força para escutar. Perguntei se a função poderia ser desligada, e a resposta foi um simples não. Hora de pegar o volante, e o M35h tem o mesmo problema dos carros híbridos na minha opinião: você nunca sabe quando o motor está ligado e o carro está pronto para sair. É baste comum ver pessoas dirigindo um carro híbrido pela primeira vez mudando a alavanca de marcha para Drive e o carro não se movimentar, pois o carro ainda não está “ligado”. Agora com a ignição ligada, e o carro pronto para ir, eu dou uma pisada no acelerador, e de repente o motor a gasolina liga, e ao tirar o pé do acelerador, desliga, como se o motor tivesse morrido. Fico bombando o acelerador por algumas vezes, e a mesma coisa, o motor a gasolina sobe de giro, e depois ‘morre’, para depois subir de giro outra vez, e ‘morrer outra vez’. Nada de marcha lenta, a não ser que a carga da bateria de alta voltagem esteja baixa. Agora mudo a alavanca para Drive, e começo a pisar no acelerador, e o carro sai em silencio apenas no modo elétrico, até eu pisar um pouco mais no acelerador para despertar o motor a gasolina. O carro segue com o mesmo ótimo desempenho do M37 normal até chegar no sinaleiro e ficar quieto outra vez, sem consumir uma gota de gasolina. Com o peso da bateria no porta malas, a suspensão traseira foi recalibrada, mas não deu para notar muita diferença em condições normais. No mais, o carro é o mesmo Infiniti M que ficou muito mais atraente e gostoso de dirigir no modelo 2011. A Infiniti afirma que o M35h acelera de 0-60 mph (96Km/h) em 5.5 segundos, um número muito bom para um Sedan de luxo híbrido. Infelizmente o evento era fechado, e não foi possível tirar fotos, mas mesmo assim, valeu a apresentação e o passeio.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s