Arquivo da categoria ‘História’

classicos

No dia 22 de setembro, o estacionamento do Shopping Eldorado será palco do Encontro de Antigos da Mobilidade “CLÁSSICOS NO ELDORADO”. Mais de 50 automóveis raros estarão expostos a partir das 10h até as 16h. A visitação é gratuita.

Os visitantes terão a oportunidade de conhecer de perto veículos de diferentes épocas, estilos e procedências. Guardados como jóias, os carros presentes no evento irão permitir uma verdadeira viagem no tempo, onde se poderá acompanhar a evolução tecnológica e de design da indústria automobilística, as tendências de cada momento histórico, os padrões de comportamento e muito mais.

Além dos automóveis impecavelmente conservados, outras atrações estão reservadas para o público. Um ônibus escolar clássico, de fabricação norte-americana, servida de cenário para uma exposição de miniaturas criadas pelo artesão Milton Cruz com a utilização de material reciclado.

Quem quiser se aprofundar no assunto, poderá ainda assistir à palestra sobre a arte de restaurar veículos antigos. Com a palavra, o renomado restaurador Ricardo Oppi. E para completar o clima de nostalgia, um disc jockey irá trazer, direto do túnel do tempo, grandes sucessos do passado que marcaram a vida de cada geração.

CLÁSSICOS NO ELDORADO é uma iniciativa do Shopping Eldorado e do Clube do Carro Antigo do Brasil. A visitação é gratuita.

A seguir, alguns destaques da exposição…

e mais fotos de Pebble Beach, dessa vez mostrando o Leilão da Gooding.

(mais…)

A Mercury se foi…

Publicado: junho 28, 2011 em Ford, História
Tags:

Relembrando um pouco sobre a marca do gato…

(mais…)

VW Jetta, Golf, e New Beetle: Incêndios, a VW foi obrigada a fazer Recall nos Estados Unidos. No Brasil, a VW não se pronunciou a respeito do recall apesar que os mesmo modelos foram vendidos no Brasil.

(mais…)

Pequenos, mas de Grande Passado

Publicado: outubro 13, 2010 em História

Nem sempre os microcarros foram considerados bonitos. A menor classe dos automóveis, foram pequenos talvez por necessidade da época, ou momento econômico. A medida que os custos de produção diminuíram, os carros começaram a ganhar tamanho e potência, e os microcarros acabaram sendo esquecidos. Pouco tempo atrás com o aumento no preço do petróleo, e a corrida pelos carros elétricos, os microcarros voltaram a aparecer.  O MSN Auto publicou uma lista de carros pequenos com um grande passado. Veja quais são esses carros e conheça um pouco sobre cada um.

Austin 7 (1922)

O modelo apareceu em 1922, quando o mercado mundial já apresentava uma certa preferência por carros maiores, mas mesmo assim o modelo se tornou um dos microcarros de maior sucesso mundial. Com seu motor de 757cc e 10 HP, o carrinho vendeu mais de 200mil unidades, e o projeto acabou sendo vendido e copiado por fabricantes de carros de países como Alemanha, Japão, França, e Estados Unidos. Um carro que fez fama pelo preço acessível, durabilidade, e economia de combustível. Os últimos modelos fabricados alcançavam marcas de 21 km/l.

 

King Midget Model 1 (1946)

Depois do fim da Segunda Guerra Mundial o modelo era oferecido como Kit-car, e pouco depois era montado pelo próprio fabricante. De uma certa maneira foi um passo para trás em relação ao A7, com apenas lugar para uma pessoa e um motor de apenas 6 HP. Por outro lado o carro era barato, por volta de U$350 já montado na época, o que em valores atuais sairia por menos de U$3000. Foram fabricados 5mil King Midgets entre 1946 e 1970.

 

Iso Iseta (1953)

Alguns consideram quem 1950 foi um período renascentista para o desenho dos microcarros, a começar pelo italiano Iso Iseta. O desenho parecia mais um carro conceito, de dimensões reduzidas, entrada pela porta dianteira, e um motor de 9,5 HP. A primeira versão possui apenas 3 rodas, mas a Iso rapidamente adicionou mais uma roda na traseira para melhorar a estabilidade. O modelo foi licenciado para várias empresas ao redor do mundo, inclusive para a BMW. No Brasil o carrinho também chegou a ser fabricado pelas indústrias Romi, se chamando Romiseta.

 

Messerschmitt KR200 (1955)

Dez anos após o fim da Segunda Grande Guerra Mundial, a Alemanha ainda se recuperava e o fabricante de aviões Messerschimitt estava proibido de fabricar qualquer tipo de aeronave. Enquanto a empresa esperava o prazo de proibição expirar o fabricante produziu um dos microcarros mais populares do mundo. O KR200 foi claramente inspirado numa aeronave, com 3 rodas, assentos em fileira com o passageiro sentado atrás do motorista, e não havia volante, mas sim uma barra que deveria ser empurrada. Foram vendidos na Alemanha e no resto do mundo mais de 40mil unidades em 9 anos de produção.

 

Fiat 500 (1957)

Um dos modelos mais influentes na história dos microcarros. Originalmente o 500 era equipado com um motor traseiro de 13,5 HP, e ajudou a motorizar a Italia no pós guerra, sendo produzido até 1975. O Novo Fiat 500 é atualmente muito grande para ser considerado um microcarro. Lançado em 2007, o modelo é um sucesso de vendas e deve contar com derivados em breve, assim como o versão original que contava com várias versões, como a 500K Giardiniera da foto acima.

 

BMC Mini MK1 (1959)

Assim como o Fiat 500, nem sempre o Mini é considerado um microcarro, mas a versão original tinha proporções reduzidas e um motor de 848cc podendo assim ser considerado da categoria. O carro ainda tinha mais em comum com o Fiat 500. Ambos acomodavam 4 passageiros, e o desenho lembrava um carro de verdade e não uma caixa de sapatos com 4 rodas. Também ambos os modelos se tornaram ícones, o 500 na Ítalia e o Mini no Reino Unido. O Mini também foi re-editado mas através da BMW, que fabrica o modelo atual, de proporções maiores também.

 

Peel P50 (1962)

Durante os anos 60, a economia mostrava sinais de recuperação, e o mercado já estava saturado de Minis e Fiats 500, o que representava um período de hibernação para os microcarros. O Peel P50 era equipado com um pequeno motor de 50cc e 4,2HP, e a melhor qualidade talvez fosse o título de menor carro do mundo em comprimento. Talvez se o modelo tivesse sido fabricado no período pós guerra as vendas poderiam ter sido melhor. Durante os 15 meses que esteve em produção, o modelo vendeu apenas 47 unidades.

 

Smart Fortwo (1998)

Durante os anos 70 e 80 alguns carros pequenos chegaram a ser produzidos, mas eles ainda eram muito grande para serem considerados microcarros, ou alguns ficaram apenas no anonimato. Quando a Smart anunciou a fabricação do Fortwo a mídia recebeu o carrinho de forma calorosa e o sucesso do modelo trouxe de volta os microcarros. Embora o desenho seja baseado em modelos de décadas passadas, a economia de combustível proporcionada pelo motor de 50hp tornou o modelo atrativo numa época que o preço do petróleo disparava.

 

REVAi (2008)

A Smart já anunciou em 2010 que pretende lançar uma versão elétrica do Fortwo, mas um fabricante indiano chegou na frente com um microcarro elétrico. O modelo é equipado com um motor elétrico de 17 HP que leva o carrinho a quase 90Km/h, com uma autonomia de 90 Km. Com um preço de U$7mil na Índia, o carro leva o título de carro elétrico mais vendido no mundo.

 

Scion iQ(2011)


Talvez versões elétricas de Fortwo, Ravai, ou Tata possam ser o futuro os microcarros, mas a Toyota acredita que ainda exista mercado para pequenos carros com motores a gasolina. O Scion iQ é maior que um Fortwo, mas tem lugar para 4 pessoas, e com um motor 1.3l de 100HP. Se não fosse pelo preço de U$15mil o carrinho poderia ser considerado um típico microcarro. O iQ deve começar a ser vendido nos Estados Unidos em 2011.

Lancia de volta ao Rallye!

Publicado: outubro 6, 2010 em História, Lancia, Rallye

A Lancia ECV1 volta aos rallyes depois de 25 anos em alto estilo durante o Rally Legend 2010 em San Marino  .

O modelo ECV1 (Experimental Composite Vehicle) foi concebido há 25 anos atrás para o Grupo S, que iria substituir o Grupo B na época. Enquanto que o Grupo B exigia a homologação de 200 unidades de rua, o Grupo S era necessário apenas 20 unidades, permitindo que os fabricantes concentrassem uma quantia enorme de dinheiro na categoria. No inicio de 1986 os carros do Grupo B se tornaram muito rápidos e potentes para os trechos de rallye da época, sendo conhecidos como os carros ‘Killers Bs’, resultando no termino abrupto da categoria, sendo assim substituído pelo grupo A, baseado em carros de produção, e abandonando os protótipo dos grupos B e S.

O modelo foi um conceito tecnológico concebido para testar o uso de materiais como fibra de carbono, kevlar, termoplasticos, resinas e fibra de vidro em carros em produção em linha. Basicamente o modelo era baseado no lendário e vencedor Delta S4, equipado com um motor 1.8 (1795cc) twin turbo(KKK) usando um novo desenho chamado ‘Triflux’ onde as duas turbinas eram usadas de forma seqüencial independente da rotação do motor, produzindo 600 hp a 8mil rpm. O modelo pesava 930 kg.

Com o fim do Grupo B e Grupo S, o ECV1 acabou indo parar no museu da Lancia, e nunca fez a sua estréia nos Rallyes. A Lancia continuou dominando o grupo A também, continuando a lenda da marca que ganhava todos os Rallyes. É justamente um dos grandes pilotos vencedores da Lancia do Grupo A que o ECV1 fará finalmente a sua estréia,  nas mãos de Miki Biasion, quem conquistou dois titulo mundiais com o Delta Integrale.

O oitavo Rally Legend 2010 será realizado nos dia 8 e 9 de Outubro de 2010, e terá duas classificações. A primeira reservada para os carros históricos e a segunda para Dez carros do ‘World Rally Cars’ selecionados para competir. O ECV1 vai estar competindo na primeira categoria, depois de esperar por mais de 25 anos por sua estréia. Vale a pena relembrar a importância e rever todas as vitórias da Lancia nos Rallyes, sem duvida um marco histórico nas competições.